O QUE É A FLOR DE LARANJEIRA.

O QUE É A FLOR DE LARANJEIRA?
Quando passei por Vila Real de Santo António encontrei várias laranjeiras ladeando a sua praça principal. Em Portugal é tão vulgar que pouca gente lhe presta atenção mas se olharmos bem a sua beleza e delicadeza fazem dela um excelente calmante aromático que nos agrada ter no jardim.
A flor de laranjeira é muito apreciada tanto no âmbito culinário como no medicinal pelas suas famosas propriedades e benefícios terapêuticos. A flor de laranjeira é utilizada em casos de distúrbios do sono ou tensões nervosas e pode ser encontrada em infusão (chá). De nome científico Citrus aurantium L., a flor de laranjeira é uma planta comum principalmente nos países do sul. A flor de laranjeira, também conhecida como flor de laranja-amarga, é uma planta medicinal que cresce em três pés-de-fruta diferentes, no limoeiro e na cidreira, sendo caracterizada pela cor branca e desprender um delicado e suave aroma. A partir da flor de laranjeira é possível fazer o seu chá, extrair o óleo essencial e elaborar a água de flor de laranjeira.
E depois de tudo isto vem a Laranja que todos conhecemos de sobra, ou talvez não!laranjeira-2016-10-25-15-23-35

PASSEIO A ESPANHA.

PASSEIO SÉNIOR DE OLHÃO.
Desta vez o Passeio Sénior de Outono que a Câmara Municipal de Olhão realiza para levar os velhos desta cidade a sair de casa para ver outras terras levou-nos para terras de Levante. Começámos por atravessar a fronteira e entrámos em Espanha. Seguimos para Huelva mas não entrámos na cidade, apenas contornámos toda a costa portuária pelo Passeo Marítimo, a Av. Mejico , Av. Francisco Montenegro, atravessámos a ponte ente o Rio Odiel e Rio Tinto, sempre pela N-442 e depois passámos à A-5025 em direção ao Mosteiro de La Rábida. Fomos a Huelva mas não vimos nada da cidade em contrapartida a visita ao Mosteiro valeu a pena. Não tivemos muita sorte com o tempo que se fartou de chover mas com alguma improvisação o Helder deu a volta ao problema.2016-10-25-10-34-12

(Mosteiro de La Rábida, Huelva, Andaluzia. Espanha)

A INVASORA.

A INVASORA.
Há dias encontrei-a no Jardim Municipal de Loulé onde já lá está há uns anitos. De cada vez que a vejo está em flor. Uma das vantagens de caminhar é que também podemos ver muitas coisas, cada um olha para o que lhe interessa. Eu gosto de ver muitas coisas e as flores é coisa que não me passa despercebido. Esta é uma planta invasora no seu habitat natural mas por cá ainda vai sendo controlada. Bonita é ela.
A ‘Senna didymobotrya’ é capaz de formar moitas densas e impenetráveis que impedem o crescimento e regeneração de plantas nativas e afeta o movimento dos animais selvagens. Ela invade pastos, bosques, florestas, zonas ribeirinhas (bancos dos cursos de água) e esfoliação costeira. Tais plantas são susceptíveis de existir num equilíbrio estável em condições naturais. No entanto, de acordo com as mudanças induzidas pelo homem, tais como sobrepastoreio, tais espécies podem aumentar em densidade e em detrimento da outra vegetação.
Foi considerada uma invasor de categoria 3 na África do Sul, onde o plantio não é permitido – exceto com permissão especial – nem pode ser comercializada para impedir a sua propagação.senna-didymobotrya-2016-10-23-09-54-53

A CAMINHADA EM LOULÉ.

A CAMINHADA DE ONTEM EM LOULÉ.
Excelente a caminhada de ontem de manhã em Loulé. Melhor creio que era impossível. E o tempo ajudou, depois de ter chovido bem durante a noite estávamos um pouco apreensivos quanto ao tempo. Mas felizmente até o sol abriu, sem chuva, sem frio e sem vento tudo deslizou suavemente. Percurso novo para desenjoar o antigo, por dentro da cidade, sem complicações, bem organizado, boa sinalização, gente da organização controlando os cruzamentos e até os pontos de abastecimentos recheados de águas, maçãs e bananas. Para o final cada um provou o famoso Folhado de Loulé, uma especialidade da cidade. Não concordo muito com a distribuição de açúcares a quem pretende queimar calorias mas, as pessoas gostam e como diz o ditado: Perdoa-se o mal que faz pelo bem que sabe.2016-10-23-09-15-47

A DELICADA.

A DELICADA.
A Sempre Viva (Sempervivum) é talvez a planta mais delicada do meu jardim. Já perdi muitas por isso a experiência já me ensinou que não a devo regar com muita água e muito especialmente evitar molhar as suas folhas. O bom é que elas se reproduzem a grande velocidade quando bem tratadas por isso quando os seus filhotes atingem o tamanho adequado trato logo de os emancipar. Para mim, o ponto alto é quando elas se encavalitam umas nas outras ocupando por completo todo o vaso.sempervivum-2015-08-11-08-15-31

A SIMETRIA DA NATUREZA.

A SIMETRIA DA NATUREZA.
A forma simétrica das Echeverias é algo que a Natureza nos proporciona para nos impressionar. Ou será apenas vaidade da própria Natureza? Seja lá o que for a verdade é que a forma simétrica desta planta é perfeitamente perfeita. O incrível dos catos e suculentas é que se desenvolvem com tal lentidão que temos muito mais tempo para podermos apreciar a sua incansável beleza. Quando a comprei vinha rotulada como ‘Echeveria chihuahuensis’, sempre nomes muitos esquisitos para lhes dar ainda mais curiosidade, realeza e mistério.echeveria-chihuahuensis-2016-09-24-15-51-22

 

CATOS SILVESTRES.

CATOS SILVESTRES.
Este encontrei-o em S. Marcos da Serra bem no meio do matagal. Alguém se deve ter esquecido dele, nalgum local que já deve ter sido habitado e que, devido à desertificação do país acabou por ficar sózinho, mas ele não se preocupou porque está no seu ambiente. Também tenho alguns no meu jardim e penso que não me engano quando lhe chamo ‘Aloe squarrosa’. Mas o que me deixou curioso é que os meus nunca dão mais que um galho com flores, mas este num único galho consegue ainda ter mais quatro, o que é obra. A Liberdade é outra coisa.aloe-squarrosa-em-sao-marcos-da-serra

Previous Older Entries

%d bloggers like this: