PHILIPSBURG (Sint Maarten, Caraíbas):

PHILIPSBURG (St. Maarten) – Saint Martin é uma Ilha do nordeste das Caraíbas e é dividida ao meio pela França e pela Holanda. A parte francesa é conhecida por Saint Martin e a holandesa por Sint Maarten. A França ocupa 53 km² e a Holanda apenas 34 km². As principais cidades são Philipsburg (lado holandês) e Marigot (lado francês). Enquanto a cidade com maior população é Marigot, no entanto o lado holandês é mais densamente povoado. A mais alta colina é o Pic Paradis, com 424 metros no centro de uma cadeia montanhosa no lado francês. A ilha não tem rios mas muitas vísceras secas. Trilhos para caminhadas dão acesso à floresta seca cobrindo topos e encostas. Cristóvão Colombo, na sua segunda viagem ancorou nesta ilha a 11 de Novembro de 1493, dia de São Martinho de Tours e em sua homenagem, Colombo chamou à ilha San Martín. Quando os espanhóis fecharam as suas fortalezas coloniais na ilha em 1648, alguns soldados holandeses e franceses escondidos resolveram partilhá-la. Logo após, a 23 de Março de 1648, a Holanda e a França resolveram assinar um acordo formal para dividir a ilha ao meio, como está hoje, através do Tratado de Concórdia. Philipsburg exibe a sua herança holandesa na sua arquitectura e paisagismo. A ilha oferece longos trechos de praias, belas paisagens e muitas lojas. Philipsburg tem apenas 4 ruas paralelas espremidas entre Great Bay, onde está o cais de navios de cruzeiros e a Lagoa Salgada, onde o sal era feito há muitos anos. A ilha inteira tem melhorado muito nos últimos anos e o porto foi dragado para que os navios maiores pudessem atracar. A cidade pode ter apenas 4 ruas e o cumprimento de uma milha mas contém tudo o que o turista necessita. Toda a ilha é um “duty-free shopping” mas em Philipsburg cada loja tenta superar a outra oferecendo produtos electrónicos, bebidas alcoólicas, jóias, roupas, perfumes e muito mais. Por isso aqui vinha o “Tss Fairwind” várias vezes nos seus cruzeiros e a foto de 18-6-1986 mostra a movimentada rua desta cidade. Restaurantes não faltam onde imperam a Cozinha Francesa e Crioula, além da Chinesa e Indiana. Em Grand Case, uma vilazinha à beira-mar tem ao longo da sua rua principal os mais prestigiosos restaurantes da ilha, razão pela qual é considerada a capital gastronómica da ilha. Mas a combinação da Cozinha Europeia com a Crioula está permanentemente em acção, mas por aqui o peixe é rei em qualquer mesa. Águas temperada, translúcidas e cristalinas, com cores que variam entre o turquesa e o índigo, quase engolem as ilhas que flutuam no Mar das Caraíbas. Além disso, os milhares de bancos de coral fazem desta paisagem uma festa de cor e exotismo. O verde que emoldura as praias, conjugado com o areal branco e fino da maior parte delas, os coqueiros e a densa vegetação, compõem um cenário simplesmente idílico.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: