PASSEIO A AMIEIRA:

Ao sairmos de Portel fomos direitos à Marina da Amieira.
Nem sequer parámos. O que vimos foi de dentro do autocarro e de longe. Não teria sido má ideia pararmos um pouco para termos uma pequena ideia da Marina. Por outro lado também compreendo que só para sair do autocarro as pessoas levam um tempão. De qualquer das formas 5 minutos teriam sido suficientes para ver o ambiente mais de perto.
Agora digam lá o que é que se vê aqui de cima. Nada. Só água.
A paisagem até é bonita mas  continuo a dizer que só vimos água.
Teria sido interessante ver a Marina e o que por lá havia. É preciso ver que há quem faça excursões só para lá irem almoçar. Certamente que deve ter alguma coisa de interessante.
Tirando uma vaca que se atravessou no caminho do autocarro não vimos mais nada de interesse.
Estatua de Mestre Baptista e Forcados na Amieira.
AMIEIRA – Freguesia do concelho de Portel, comarca de Reguengos de Monsaraz, distrito e diocese de Évora e fica a 13 kms da sede do concelho.
Por isso apressámo-nos para ir comer. Entrámos na vila da Amieira que fica a poucos quilómetros da Marina e parámos num Restaurante de nome O Aficionado. O nome faz jus ao ambiente. O dono deve ser algum maluco por touradas porque toda a decoração era relativa a touradas. Eu até sou ribatejano mas detesto touradas. Claro que isso não me impediu de comer com gosto.
 
E aqui está algo curioso. Uma replica do Estádio do Benfica cheio de moedas de 1 cêntimo. Ainda gostava de saber qual é o objectivo desta colecta. Será para ajudar a pagar o Estádio?
Ao entrarmos passamos pelo Bar em que tudo diz respeito a touradas.
Quadros destes são aos montes e por todo o lado no Bar.
E no Restaurante não faltavam as fotografias sobre touradas.
 
Esta é uma vista geral do Restaurante.
Assim que nos sentámos à mesa o pessoal atacou o presunto, por sinal com muito bom aspecto. Água e vinho alentejano como não podia deixar de ser. Achei estranho não haver azeitonas na terra delas mas duas coisas salgadas era demais por isso achei boa opção não as terem incluído. Também achei estranho não haver manteiga mas como eu sou contra este produto ainda achei melhor não a ver. Falta dizer que o pão era de boa qualidade. Demasiado boa qualidade. Até o pão alentejano continua cada vez mais branco o que lhe tira qualidade nutricional. Aqui dou um excelente.
Primeiro começámos por um óptimo Creme de Feijão Verde e como a fominha já se fazia sentir caiu muito bem. Por se ver que era uma sopa feita no restaurante eu dava um excelente.
E depois veio o prato principal. Bacalhau de Cebolada que não estava mal. Neste caso o bacalhau é passado por farinha e frito depois. Coloca-se a cebolada em cima e vai ao forno (ou não). O prato estava bom mas eu preferia que não tivesse sido frito, bastava levá-lo ao forno. Teria ficado muito mais macio, tanto mais que eram boas e grossas postas. De cozinha percebo eu e também sei que em hotelaria se usam processos errados pensando que facilita o serviço e por vezes estragam tudo como foi o caso deste prato. O bacalhau chegou à mesa demasiado duro e foi pena porque até era de boa qualidade e não estava nada salgado. De qualquer forma estava bom mas não excelente.
A Cassata de Baunilha com Chocolate também estava boa mas aqui não é mérito do restaurante porque se trata de um produto comercial. É só comprá-lo já feito e distribuí-lo na hora. Poupa muita mão-de-obra mas tem o inconveniente de não dar nome ao restaurante. De qualquer forma também estava bom mas não excelente.  
Estes bolinhos secos servidos com o café deixaram-me na dúvida se teriam sido feitos no restaurante ou não mas como cheiravam a frescos estou em crer que sim. Sempre me ensinaram que em caso de dúvida nunca se deve prejudicar ninguém por isso dou um excelente porque até gostei deles. Foi ainda servido um Licor de Poejo que toda a gente gostou. Como não bebo álcool estou em crer que devia estar excelente.
Três excelentes e dois bons. Quer dizer que na prática o excelente ganha porque não incluo a simpatia, nem o serviço, nem a decoração, nem o asseio que nestes casos de grupos pouco conta. Mas no cômputo geral foi agradável.
Como aficionados que eram não podiam deixar de ter um painel de azulejos destes a condizer com a sua condição. E daqui seguimos para a Barragem do Alqueva.

1 Comentário (+add yours?)

  1. Roteiro do Alqueva
    Maio 30, 2011 @ 15:01:41

    Ficam aqui diversas fotos de um passeio de barco partindo da Marina da Amieira através da barragem do Alqueva.

    Mais informação sobre o Alqueva no site Roteiro do Alqueva.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: