FESTA DE CARNAVAL SÉNIOR DE OLHÃO:

OLHÃO, 12/FEV/2010. Esta tarde realizou-se a Festa de Carnaval das Turmas de Ginástica Sénior de Olhão. À entrada havia um local para os mascarados se inscreverem num desfile em que um júri iria apreciar qual a melhor fantasia.

Ao entrar já o bailarico ía animado.

Demos uma volta para apreciar o ambente. Lá fora chovia. Aqui dentro estava-se bem.

A mesa fazia crescer água na boca. Estava um pouco mais pequena que no Natal, o que não admira porque estava muito menos gente. Como cada um leva qualquer coisa, nota-se na megresa da mesa. Mesmo assim estava deliciosa.

A Apolónia vem muito bem disfarçada. Escolheu mal o traje de palhaço por ser demasiado vulgar. De qualquer forma foi à vontade dela e até estava muito bem ataviada. Como não podia deixar de ser tinha que pôr a conversa em dia.

Lá encontrou outro colega de ‘profissão’.

Isto é uma festa de ‘séniores’. Era suposto estar cheia de adultos mas as crianças eram muitas. É claro que nós (os séniores) nos movemos por causa delas. Se elas estão felizes é quanto nos basta a nós por isso a minha objectiva (da máquina, claro) não deixa escapar as crianças.

E a malta continua bailando, pulando, gritando e os índios rondando.

Até o Robin dos Bosques trazia companhia.

Nem o baile de roda faltou. Lá vão todos em fila indiana.

Continua animado o baile. Ninguém pára.

As crianças riem, pulam, correm e beliscam as bolachas.

Freiras, palhaços, crianças e outros vão-se divertindo.

E não páram, ródam sempre.

O ambiente é bonito de se ver… e sentir.

Uma abelhinha amorosa.

A festa sem o Hélder já não era festa. Ele sabe animar a festa. E a profª Elsa tal como as suas colegas são o motor destas organizações só para nos darem tempo ao tempo.

Olha! Outra abelhinha. Será a mesma?

O Espantalho que ganhou o 1º Prémio e o Homem do Penico que tirou o 3º lugar. E já agora devo dizer que para mim este Penico e o seu dono foram para mim, e para a Apolónia, os melhores. Sem desfazer dos outros o homem do Penico encheu-me as medidas. Mas o Júri lá tinha as suas razões. Eles levam em conta muitas outras medidas que não nos passam pela cabeça. Por isso, eu acho que os membros do júri, ao atribuir os prémios deviam pegar no microfone e explicar aos presentes porque razão o faziam. Não acham?

A Apolónia não deixa escapar um bolo. É muito gulosa. Eu nunca a deixo comer bolos (desculpem lá, mas o açúcar e o sal são os dois grandes venenos da nossa sociedade) e por isso nestas ocasiões ela sabe que eu fecho os olhos e então aproveita.

Há que dar mais uma voltinha pela mesa. Ninguém gosta de sair com a barriga vazia… excepto eu que não consigo comer um doce. Creio que só o fazia se estivesse a morrer à fome.

Os balões são coisas que encantam as crianças e elas divertem-se.

E aqui fica um pequeno relato da nossa festa. Podia ter sido melhor e mais extenso mas como tinha na mão uma máquina de filmar não podia fazer tudo ao mesmo tempo. Tenho pena de não ter podido fotografar a coreografia dos professores e o desfile das fantasias mas não se podem fazer duas coisas ao mesmo tempo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: